Psicanálise

Sigmund Freud, considerado o pai da Psicanalise, nasceu em 1856 em Frieberg,  território pertencente à Áustria, e que atualmente está anexado a Tchecoslováquia. Médico neurologista alemão interessado em achar um tratamento efetivo para pacientes com sintomas neuróticos ou histéricos. Sua teoria do funcionamento da mente humana fundamentou-se num método exploratório, destinado a tratar os comportamentos compulsivos e muitas doenças de natureza psicológica, oportunizando ao longo dos anos um entendimento melhor sobre o ser humano.

Este método básico da psicanalise é pautado na interpretação da transferência e da resistência, com a análise da associação livre, somado a análise dos sonhos.  A teoria freudiana está totalmente sustentada na estrutura da mente que concebemos por inconsciente, uma vez que, ele atribuía que as causas de certos sintomas ou de nossas ações estão dentro do inconsciente humano, pois é nesse local que está o conflito entre o superego e o id
Em seus estudos sistemáticos  sobre a mente humana destacou os seguintes aspectos: A relação existente entre traumas psicológicos e os sintomas, conteúdos estes reprimidos pela pessoa e afastado da consciência,  em decorrência da natureza intolerável do trauma. O ego rechaça da consciência, a fim de proteger o aparelho psíquico de perturbações assustadoras.

Elabora a Estrutura tripartide da mente: Id - Freud buscou funções físicas para as partes da mente. O Id, regido pelo "princípio do prazer", tinha a função de descarregar as tensões biológicas. Ego - lida com a estimulação que vem tanto da própria mente como do mundo exterior. Racionaliza em favor do Id, mas é governado pelo “princípio de realidade  Superego - que é gradualmente formado no “Ego”, e se comporta como um vigilante moral”. Contem os valores morais e atua como juiz moral.

Ele formulou a hipótese de que, a ansiedade que é manifestada  nos sintomas era decorrente da energia interligada à sexualidade; porém reprimida, portanto  o instinto sexual, não se apresentava consciente devido à "repressão" tornada também inconsciente; O conteúdo destas "repressões" inconsciente era obtido pelo método da livre associação (inspirado nos atos falhados ou sintomáticos, em substituição à hipnose) e interpretação dos sonhos (conteúdo manifesto e conteúdo latente).que representa o teor inconsciente real e oculto (os desejos sexuais).

Freud enfatiza que, o homem não é senhor de sua mente, ou seja, não reinamos sobre nossos desejos. Somos passivos aos conflitos em nosso subconsciente, uma vez que, as consequências de tais conflitos resultam em nosso comportamento. Ressalta, “Não somos apenas o que pensamos ser. Somos mais, somos também, o que lembramos e aquilo que nos esquecemos; somos as palavras que trocamos os enganos que cometemos os impulsos a que cedemos, sem querer”.